terça-feira, 26 de julho de 2016

Meus novos projetos! ♥

Estava há muito tempo querendo fazer essa postagem e esse dia finalmente chegou! Irei falar das minhas novas histórias e das datas de lançamento! Então vamos lá!

terça-feira, 19 de julho de 2016

MAIORES erros que cometemos no YAOI

Oi gente! Como vocês estão?  
Hoje venho com um assunto que considero muito importante e que ando vendo muito nas fanfics de hoje, sejam elas originais ou de fandom.

Pois bem, sem mais delongas, vamos iniciar os maiores erros que cometemos na hora de escrever yaoi. 


Gente, não é porque estou falando isso que eu me auto considero a melhor escritora de todas, não é assim, eu não sou melhor do que ninguém, mas todos esses erros eu já cometi um dia, que quero compartilhar pra vocês não fazerem feio também :)

Vamos começar com o que eu já cometi e considero o pior de todos.
  • Cultura Heteronormativa: O nome pode ser um pouco complicado, mas é bem simples na verdade, "heteronormativa" é tudo que é considerado o comum de uma relação heterossexual (casal de sexo oposto). Um exemplo disso: O passivo é sempre a "mulherzinha" em todas as situações, sendo citado como delicado e frágil (coloquei entre aspas porque também detesto os termos "delicada/frágil" pras mulheres, ok?)

Mas Srta. Okay, eu gosto de fazer ukes delicados e magros, com o corpo menor que o do seme, qual o problema nisso?

Isso não é pecado tá gente, mas acontece que virou uma cultura, que acredito ter iniciado por conta dos mangás yaoi feito por mulheres e para mulheres, que acabou até entrando no mundo masculino. Vocês sabiam que até entre os homens gays ocorre esse preconceito? De às vezes porque o cara é musculoso ou até mesmo acima do peso, não poder ser passivo... 

Bora variar, né gente? Não há problema em você fazer personagens assim: uke pequeno e seme grandão, mas seria bacana diferenciar, até mesmo pra botar cenas de eles sendo versáteis na cama. 

 E isso me remete ao próximo erro:
  • Bochechas Vermelhas (o tempo todo): Assumo que eu já cometi DEMAIS esse erro aqui (foi um amigo do peito que me deu o toque de que tava micão). Que é quando nós fazemos o personagem (geralmente o passivo, pode reparar) ficar com as bochechas vermelhas muitas e muitas vezes... 
 Mas Srta. Okay, meu personagem é inexperiente em muitas coisas, fica constrangido rápido e blabla... 

Isso também não é pecado gente, mas é que acaba ficando super chato ver um personagem assim, não podemos esquecer que mesmo inexperientes, eles não deixam de ser homens, no caso de meninas escrevendo, lembrem-se sempre disso! São homens!


O próximo ainda é relacionado a cultura heteronormativa:
  • Aceitação do Ativo/Passivo: Bom, como nesse meio os passivos são praticamente meninas, a aceitação dentro da família também é diferente da aceitação do ativo. Geralmente a aceitação do passivo é mais complicada, a mãe geralmente apoia (geralmente, tá?) e o pai costuma rejeitar isso de todas as formas. Então deveria ser a mesma coisa para o ativo, ao menos, né? 
Pois é, não é... O ativo geralmente é melhor aceito pela família quando se assume e é aceito pelo pai, geralmente.

Esse erro se repete de outra forma também, nas amizades/paqueras:
  • Ativo é ímã de meninas, enquanto o passivo ímã de boys: Acompanhados pelas suas melhores amigas, os passivos contam dos carinhas que vivem dando em cima dele (sim, passivos sempre tem amigas mulheres, raramente vemos um passivo com melhores amigos homens, esses são exclusivos dos ativos). E quando geralmente tem cenas de ciúme, o ativo faz ciúme para o passivo exibindo alguma garota que provavelmente deu em cima dele. 
Curioso, não? Eu já cometi esse erro várias e várias vezes! Me julguem!

  • Pais que não existem, às vezes até sem nome: Esse eu também já cometi e não tenho orgulho disso. E ele acontece até em fanfics que não são yaoi. Então digo a vocês por experiência própria, que histórias que mostram os pais do personagem têm uma realidade mais próxima do mundo e que isso encanta os leitores. 
 Mas Srta. Okay, os pais do meu personagem viajam muito/estão sempre ocupados com o trabalho...

Ok, certo, mas eles não deixam de ser pais, né? Então vamos botar eles mais presentes, preocupados com o filho e onde ele anda dormindo, com quem ele anda falando, esse tipo de coisa. 

Bom, ainda tem muita coisa pra comentar e eu pretendo continuar a fazer postagens sobre isso! Mas por enquanto é só, para não alongar demais :)

Digam-me o que acharam da postagem nos comentários e suas opiniões sobre o assunto, sugestões também são sempre bem-vindas! 
Confira outras postagens sobre esse tema:

(Não é fácil ser a ovelha colorida da família)